posts recentes

...

21 anos de nós 2... 4 ano...

Os homens deviam nascer m...

Vai correr tudo bem

Eu sei que não tem sido f...

O meu primeiro dia de esc...

Aqui vamos nós

A magia da arte

A caminho

Mães quase perfeitas

Laçada#1

Dizem que os opostos se a...

Simplicidade

Há muito tempo...

Limites

Há dias assim...

A Vida de Adèle

Objectivos#6

Aprender a amar(-me)

Objectivo#5

arquivos

Fevereiro 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quinta-feira, 26 de Junho de 2014

Objectivo#2

Dizer o que penso... a quem realmente importa. Algumas das situações na minha vida não ficaram resolvidas da melhor maneira por não ter dito, efectivamente, o que sentia ou pensava. Sempre tive alguma dificuldade em aceitar que o meu ponto de vista é relevante para que o outro perceba que foi incoveniente, magoou ou foi injusto. Que interessa isso? A minha realidade é diferente da realidade do outro e longe de mim acreditar que isso terá algum impacto positivo no outro. No entanto, interessa a quem nos interessa. Obviamente, que há pessoas na nossa vida, para as quais isso pode fazer alguma diferença. Quando gostamos e sabemos que o outro gosta... quando o outro é importante e pretendemos que permaneça na nossa vida... é importante não ficar nada por dizer para que a relação seja saudável e verdadeira. Nunca gostei de pessoas incovenientes, que dizem o que pensam sem pensar no impacto que poderão ter os seus comentários. Eu também digo coisas sem pensar... às pessoas de quem mais gosto, por isso também peço desculpa quando erro porque não quero perde-las. Mas a quem não me diz nada... a essas, não tenciono dizer o que penso, não pretendo se quer que elas saiam do lugar(zinho) delas nem fazê-las ver que não foram agradáveis, pura e simplesmente, porque me é fácil afastar e não fazer questão de as ter na minha vida. Elas não acrescentam nada à minha vida. Se me sentiria mais aliviada por dizer o que penso a TODAS as pessoas? Não... essas pessoas não me enchem de coisas boas... logo, não há nada para aliviar. Não subestimar pessoas é muito importante mas... não sobrevalorizar outras tantas também;)


Escrito por zita às 15:50

link do post | comentar | favorito

Fevereiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


tags

todas as tags