posts recentes

Confissão

E assim de repente...

(Im)Perfeição

arquivos

Fevereiro 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007


Quarta-feira, 24 de Julho de 2013

Confissão

Assim muito baixinho, para ninguém nos ouvir:

- Desde sábado à noite que não fumo um cigarro!


Escrito por zita às 16:07

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 28 de Novembro de 2012

E assim de repente...

 

... o "bichinho" dos pinceis e das tintas apoderou-se de mim. Antes que ele se vá embora vou colocar em prática umas ideias que tive. Depois mostro-vos.

Estou: com ideias

Escrito por zita às 14:36

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 21 de Novembro de 2012

(Im)Perfeição

Confesso-me, sempre me confessei com a mania da perfeição. Gosto das coisas bem feitas, nem mal, nem metade bem-feitas. Não é fácil lidar com esta mania principalmente depois de se ser mãe. Às vezes dou por mim a pensar se estarei a fazer tudo bem. Mesmo depois de já ter lido imensas  coisas e ouvido imensas pessoas com e sem experiência dizer que ninguém é perfeito, que não há pais perfeitos, que falhar é humano, etc. Não sei bem explicar porquê isso. O David, até agora, tem-se revelado um menino excepcional. Obstinado, bem-disposto, simpático, que adora mexer em tudo o que não deve (próprio da idade) e qua ainda acorda durante a noite (talvez sejam os dentes). Perguntava-me eu, no outro dia, como iria fazer para ele perceber que não deve mexer em determinados objectos (como tomadas e fichas trilas), nem subir tudo o que consegue subir (caixas e movéis mais baixos) porque o coloca em perigo. Já falámos vezes sem conta e ele volta lá com ar desafiador, mesmo que nos baixemos e nos coloquemos ao mesmo nível que ele (uma dica de que para repreender as crianças devemos nos colocar ao mesmo nível que elas e para mim fez sentido a explicação). A palmada na palma da mão, para além de nunca me ter sentido confortável com a ideia, das vezes que tentei não surtiu efeito e fiquei-me a sentir péssima. Não acho que a gressividade ou a repreensão através de um acto físico como bater, tenha bons resultados imediatos ou futuros. Sempre me fez confusão. Não quero que ele aprenda a lidar com os conflitos através da agressividade mas sim pelo diálogo. A verdade é que, nesta idade, o que eles fazem é uma forma de chamarem a atenção, de comunicarem o que ainda não conseguem exprimir verbalmente e eu, ainda não tinha encontrado uma forma (correcta) de comunicar com ele e de o fazer ver que determinada acção o pode colocar em perigo. Ainda não tinha encontrado uma forma de o repreender que me satisfizesse, me fizesse sentir bem, com resultados positivos e saudáveis. Pesquisei e encontrei algo que me pareceu aceitável e que vou tentar.

 

Criar uma situação de pausa geralmente funciona para drenar alguma excitação duma situação tensa. Esta técnica resulta pondo a criança sentada por um curto intervalo de tempo (...) num sítio específico tal como uma cadeira, uma escada, num quarto, etc. O importante é esse sítio não ser nem demasiado estimulante nem demasiado fechado. A ideia é que a criança ganhe novamente o controlo do seu temperamento.

Para que estas pausas resultem, não devem ser vistas como um castigo, mas sim como um momento especial para reagrupar ideias e acalmar.

tags:

Escrito por zita às 14:20

link do post | comentar | favorito
|

Fevereiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


tags

todas as tags