posts recentes

...

21 anos de nós 2... 4 ano...

Os homens deviam nascer m...

Vai correr tudo bem

Eu sei que não tem sido f...

O meu primeiro dia de esc...

Aqui vamos nós

A magia da arte

A caminho

Mães quase perfeitas

Laçada#1

Dizem que os opostos se a...

Simplicidade

Há muito tempo...

Limites

Há dias assim...

A Vida de Adèle

Objectivos#6

Aprender a amar(-me)

Objectivo#5

arquivos

Fevereiro 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

Aqui vamos nós

Férias. havaianas. praia. chapéu de palha. fato de banho. areia no corpo. sal no cabelo. pele morena. salada de polvo. gelados ao final do dia. praia até tarde. piscina. risos. pôs do sol. ondas do mar. mergulhos. conchas. algas. rochas. sardinhas assadas. lancheira. piquenines. passeios. beijos e abraços molhados. toalhas de praia. castelos de areia. passeios depois do jantar. cheiro a mar. fruta da época.

tags:

Escrito por zita às 19:00

link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 12 de Agosto de 2014

A magia da arte

Há, no movimento de uma bailarina, na perfeição e na delicadeza dos seus gestos e do seu cabelo, poesia e magia. Há numa tela colorida, realista, abstrata ou em branco uma mensagem qualquer intrinseca ou não. Há no cinema e no teatro personagens, uma história que nos faz pensar e repensar, crescer, questionar, reavaliar. Há em cada fotografia um olhar, uma forma de ver o mundo sob tantas perpectivas. Há em cada livro um mundo feito de gentes diferentes, parecidas, iguais, um mundo de palavras que nos faz viajar e voar. Há, na arte uma forma silênciosa e meiga de tocar o coração. De nos fazer chorar, rir, revoltar... Há, na arte um dom de comunicar, por gestos, palavras, personagens, luzes, notas musicais que eu admiro. É quase como algo secreto que cada um ouve, vê e sente de tantas maneiras diferentes. E a maravilha que é uma bailarina, um personagem, um livro ou texto, um música, uma imagem, conseguir despertar tanta coisa diferente em tantas pessoas diferentes. Gosto de quem faz por amor e isso vê-se em cada gesto, num dedilhar de uma guitarra, no olhar de quem representa num palco ou num ecran, de quem canta, de quem fala do coração mesmo sem falar.Gostava de ter sido bailarina ou escultora! Gostava de falar menos e de encantar mais. Muitas da vezes, as palavras leva-as o vento;)

tags:

Escrito por zita às 13:35

link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 7 de Agosto de 2014

A caminho

O Verão tem sido esta vergonha. Eu não me posso queixar porque para uma grávida a entrar no 3º trimestre estas temperaturas têm sido muito minhas amigas. E desta forma (amena), é possível aproveitar os saldos e conseguir pensar já na próxima estação do Ano. Por isso, estas já vêem a caminho:

 

 

tags:

Escrito por zita às 17:08

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 4 de Agosto de 2014

Mães quase perfeitas

Não amamentei, trabalho dez horas por dia e gosto de sair com as amigas. Sou má mãe?

 

(...) O nível de exigência é tal que as mães de hoje têm apenas uma meta a atingir, serem perfeitas.

Mas será que são más mães se continuarem a apostar na carreira, se sentirem saudades das saídas com as amigas ou se continuarem a desejar passar um fim de semana romântico a dois?

Super-mães

(...)«existem expetativas sociais sobre o que é ser mulher, mãe, esposa e trabalhadora que são exigentes e difíceis de agradar. Por vezes até irrealistas». Na perspetiva da especialista, «as pressões sociais, ou que são impostas pela própria pessoa, fragilizam a mulher e podem trazer bastantes problemas psicológicos». Querer a perfeição é meio caminho para a insatisfação, pois não é atingível e cria expetativas pessoais e sociais demasiado altas.

«É bom ser realista e não se deixar levar por exigências excessivas nem culpabilidades extremas». Segundo a psicóloga, as pressões sociais são pesadas e pouco saudáveis sobre qualquer mulher, em qualquer situação: «Mesmo as que decidem ficar em casa a tratar dos filhos são desvalorizadas e consideradas mulheres menores, menos fortes, como se essa não fosse uma escolha tão digna como a de trabalhar e ser mãe».

Não aos rótulos

Se algumas mulheres encontram a plena realização na maternidade, um número cada vez maior começa a fazer um balanço entre os prazeres e os sacrifícios que implica ter um filho. E a vida pessoal? E a carreira? E a vida social?(…)

Sou boa mãe?

(...) as mulheres interiorizam um ideal de boa mãe como a que tem um parto natural, que amamenta o filho, que vive exclusivamente para ele e ficam frustradas se não conseguirem seguir esse mesmo ideal. «O espectro da má mãe impõe-se de forma ainda mais cruel na medida em que é interiorizado o ideal de boa mãe», (...) No entanto, um estudo de 2008 concluiu que os filhos de mães trabalhadoras são mais felizes, mais bem sucedidos e mais resistentes que os outros. A resposta é simples. Se a mãe não se sentir realizada, a relação com a criança vai ser naturalmente afetada.

«Se a mãe e o pai estiverem descontentes com a vida que levam, ou mesmo consigo próprios têm menos disponibilidade emocional para desempenhar o seu papel parental», explica Joana Almeida. «Se houver um esforço exagerado para compensar a culpa que se sente de não ser a tal super-mãe, a educação sofre e a relação entre pais e filhos também».(...)

 

Agenda equilibrada

Qual a solução para sobreviver à pressão da sociedade e continuar a ter vida própria, além do marido e dos filhos? (...) gestão de tempo. «As mulheres conseguem fazer muito bem este milagre caseiro. Gerir o papel de mulher e parceira, de mãe, amiga e trabalhadora é difícil, mas possível. Basta haver muito realismo e bom senso».

Apesar de muitas vezes não poder fazer tudo o que gostava, pode tentar dar o seu melhor e nunca fechar os olhos aos feitos incríveis que vai conseguindo. (...)


Momentos intensos

Tempo de qualidade é, hoje em dia, o conceito-chave. Se a sua agenda profissional não lhe permite passar muito tempo com os filhos, uma das soluções pode estar na ludoterapia. Esta forma de psicoterapia aplicada às crianças defende que bastam 30 minutos por semana de brincadeira entre pais e filhos para as suas vidas mudarem completamente.

Os problemas de comportamento dos mais novos são corrigidos e é frequente as crianças verem a autoestima aumentada, além de aprenderem a ser mais auto-controladas e disciplinadas. Mas não são 30 minutos quaisquer. Coloque o telemóvel no silêncio, desligue a televisão e deixe que a criança escolha a sua brincadeira preferida.

É que os mais novos usam os brinquedos como palavras e o ato de brincar é a sua linguagem. Se habituar a criança a estes 30 minutos de qualidade entre os dois, esta já não se sente tentada a usar «truques» para captar a sua atenção.

 

Texto retirado daqui

 

tags:

Escrito por zita às 09:40

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Laçada#1

Depois de muitos nós e de alguns que vou desmanchando pouco a pouco, eis que está quase a chegar...

 


Escrito por zita às 09:56

link do post | comentar | favorito
|

Fevereiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


tags

todas as tags