posts recentes

...

21 anos de nós 2... 4 ano...

Os homens deviam nascer m...

Vai correr tudo bem

Eu sei que não tem sido f...

O meu primeiro dia de esc...

Aqui vamos nós

A magia da arte

A caminho

Mães quase perfeitas

Laçada#1

Dizem que os opostos se a...

Simplicidade

Há muito tempo...

Limites

Há dias assim...

A Vida de Adèle

Objectivos#6

Aprender a amar(-me)

Objectivo#5

arquivos

Fevereiro 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

Como perder uma mulher em 10 segundos

Ninguém se perde ou se ganha, é um facto. Muito menos em dez segundos ipsis verbis. Mas facilmente se fica, para sempre, sem uma mulher nesse curto espaço de tempo - porque ele contém tudo o que está para trás e que ficou por resolver. Na vida real, é assim: no meio de uma discussão por causa da toalha molhada em cima da cama, da tampa da sanita que invariavelmente não estava para baixo, ou das luzes da sala acesas para ninguém, cresce o rastilho que dá vida longa a esses dez segundos. Porque um dia vai ser o aniversário esquecido, a mentirinha piedosa, as tardes no café sem falar, o sexo sem preliminares, as noites a ver futebol e as madrugadas a ver fórmula 1... E porque isto tudo não interessa realmente nada, mas até o que não interessa realmente nada homem e mulher perdem tempo a discutir, vai-se gastando a vida das palavras, dos abraços, dos sentimentos. Vai-se perdendo a vontade. Depois, quando chega a altura de falar sobre coisas sérias, já nem um nem outro são a mesma pessoa. Estão gastos. A mulher, ela, vai ouvindo, vai dizendo, vai explicando, vai tentando, vai fazendo, vai aguentando. O seu papel secular de sexo fraco deu-lhe uma capacidade enorme de aguentar - de deixar ver se... Até que um dia há um interruptor qualquer que se desliga no seu coração e, zás!, em dez segundos, e não mais que dez segundos, ela perde, para sempre, aquilo que a mantinha na corda bamba. Nem sequer é questão de "não dar mais" ou "acabou". Pura e simplesmente, morreu. 

 

Retidado daqui e como é VERDADE


Escrito por zita às 12:08

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Os 5 sentidos

Respondendo ao desafio do Pinguim mas não cumprindo as regras de:


Exibir o selo e de Lançar o desafio a outros 5 blogs. 

E, correndo o risco de ser punida grave e seriamente, vou só responder às perguntas:


Qual o Sentido que melhor me descreve?
O olfacto. É o sentido que tenho mais apurado. Dou por qualquer fuga de gás e não consigo esquecer os perfumes de pessoas que me marcaram.

Visão - Qual a tua imagem favorita?
O céu. Azul; com nuvéns; de trovoada; com arco-íris; de chuva... 

Tacto - O que mais gostas de sentir na pele?
Gosto de modelar barro e de mexer em gesso (escultura). Gosto de ter as mão sujas de tintas de óleo, carvão e pastel. Gosto de texturas diferentes de papel.

Paladar - Qual o teu sabor preferido?
O de um beijo. Apesar de ser sempre diferente é das coisas mais deliciosas:)

Olfacto - Qual o cheiro que te faz bem?
O do mar.

Audição - Qual o som que gostas mais de ouvir?
Gosto de ouvir as pessoas a conversar. Não sei se justifica o meu silêncio grande parte das vezes. Mas gosto de ouvir as pessoas.


Escrito por zita às 20:15

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Rir é o melhor remédio#2

 Adoro queijo. Flamengo, Brie, fresco, requeijão... E hoje depois do trabalho deu-me um daqueles desejos... Fui à Mercearia e apaixonei-me por um daqueles que não é totalmente fresco nem totalmente seco... sabem como é? Perguntei, apontando o dedo para o dito que se encontrava atrás de uma vitrine a cerca de 50 cm:

 

- Quanto custa?

 

A senhora da Mercearia:

- O do Alentejo?

 

Eu:

- Não sei. Este aqui. O mais à direita?

 

A senhora da Mercearia:

- Dois euros e meio. O do Alentejo, não é?

 

Eu:

- Não sei. Este aqui. (Apontei mais uma vez para o dito)

 

Olhei para os queijos todos, eram todos brancos, redondos sem qualquer caracteristica especifica que os distinguisse e disse (na esperança de o dito ser do Alentejo):

 

- Sim, esse mesmo.

 

Assim que peguei nele pensei em dizer-lhe... ao queijo:

 

- Olá, já sei que és do alentejo. Prazer. Eu sou de Lisboa.


Escrito por zita às 20:01

link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Tempo

Leva-se tanto tempo para contruir algo ou para conquistar alguém e destroi-se tudo  em tão pouco tempo. 


Escrito por zita às 23:18

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Confesso#6

Nunca tive medo do silêncio, nunca tive medo da "sozinhão", nunca tive medo da velhice, nunca tive medo de não ter alguém ao meu lado para o resto da vida porque, desde muito nova, sempre preferi estar só a estar meia-acompanhada. 


Escrito por zita às 22:57

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 16 de Setembro de 2009

Peço desculpa...

... a quem ama incondicionalmente o Verão mas, eu já tenho saudades das botas, dos cachecois, dos gorros, dos casacões e dos collants coloridos :)


Escrito por zita às 18:26

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

Fútil(idades)

Desde segunda que, para além de continuar a levantar-me às 8.30h, me tenho deitado por volta das 4.00h. Muitas horas de trabalho. Muita criativade. Muitos projectos ao mesmo tempo mas... nem tenho tido tempo para pintar as unhas.


Escrito por zita às 23:32

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

Constatação#12

Erra é humano ... sem dúvida alguma. Mas há quem erre deliberadamente, pura e simplesmente, porque sempre tiveram/têm alguém para limpar a merda que fazem. 


Escrito por zita às 14:40

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

"Revolutionary Road"

Quem nunca sentio o vazio? Quem nunca, em determinadas alturas da vida, teve dúvidas de quem era e o que fazia neste mundo? Quem nunca oscilou entre o dito socialmente correcto e o que realmente nos faz feliz? Quem nunca sentiu vontade de, de um  dia para o outro, mandar tudo "às favas" e desaparecer pelo mundo fora à procura da essência da vida? Mas quem, de todas essas pessoas, teve a coragem e/ou a ousadia para preencher esse vazio?


Escrito por zita às 20:31

link do post | comentar | favorito
|

Vulgar(idade)

Não há nada mais desleal e vulgar, do que tratar a/o namorada/o com o mesmo termo carinhoso com que se tratava a/o ex-namorada/o.


Escrito por zita às 14:50

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Fevereiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


tags

todas as tags