posts recentes

...

21 anos de nós 2... 4 ano...

Os homens deviam nascer m...

Vai correr tudo bem

Eu sei que não tem sido f...

O meu primeiro dia de esc...

Aqui vamos nós

A magia da arte

A caminho

Mães quase perfeitas

Laçada#1

Dizem que os opostos se a...

Simplicidade

Há muito tempo...

Limites

Há dias assim...

A Vida de Adèle

Objectivos#6

Aprender a amar(-me)

Objectivo#5

arquivos

Fevereiro 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quarta-feira, 26 de Setembro de 2007

Desaba(fos)#3

Existe o hábito de se dizer que só damos valor às coisas e às pessoas quando as perdemos.

Vimos muitas vezes pessoas arrependidas de não terem dito aquela pessoa o quanto gostaram dela em vida.

Por incrivel e pretencioso que pareça, há pessoas das quais me lembro quase todos os dias... é estranho eu sei... mas é a mais pura das verdades.

Por vezes até fico assustada com a forma como estão sempre tão presentes e tão longe fisicamente. Entram nos meus sonhos, ou o quotidiano, mesmo sem eu querer, me remete para elas.

Não sou mulher de grandes palavras, de grandes abraços, de grandes beijos porque não gosto da vulgaridade, da banalidade, gosto de coisas especiais, únicas, originais. Espero que nunca nenhuma dessas pessoas tenha duvidado do quanto foi importante para mim mesmo que a presença dela tenha feito parte de 1 segundo ou 1 ano da minha existência.

E como não sei quando voltarei a ter oportunidade de mostrar ou dizer a estas pessoas o quanto me marcaram, aqui fica aquele abraço, aquele beijo, aquele obrigado:

 

aos meus irmãos: Luis e Cláudio_aos meus primos: Nelma, Neide, Patricia e Luis_aos amigos de infância (os primeiros)_Silvia, Ana, Sofias, Ivo, Alex, Piu-Piu, Rui, Pedro, Susana, Marinho, Toninho, Nuno_aos colegas de escola: Tânia, Patricia, Joanas, Pisca, Marta, Nuno, Catarina_às auxiliares: Roxana e Guida_aos amigos do Liceu: Susana, João, Marisa, Fifi_aos profs: India, Manuela Faria, Amílcar, Inácia, Álvaro_aos colegas da Mealhada: Bruno, Rodrigo, Sonia, Celeste, Inês, Nuno, Miguel, Rui_aos homens que amei: João, Hugo (Guinho), Ricardo, Hugo (Bicho), Michael (Bé)_aos que conheci através de outros: Carolina, Bruno, Tiago, Nico, Inês, Ana, Cecilia, Pedro, Miguel, Marta, Lara, Carlos_ao pessoal dos concertos: Rute, Cristina, Breaks, Nuno, Pedro, Diogo, Ratão, Rodrigo, Sega, Rui, Susana_aos colegas de trabalho: Mónica, Maria Oliveira, Susana, Fernando, António, Gualter, Gonçalo, Ana, André, Madalena, Pedro, Ofélia, Bárbara, Sónia, Fatinha, Carla, Sandra, Gisela, Paula, Marta, Carla, Carlos, Claúdia, Hugo, Nuno, Rui, Bruno, Paulo, Sónia.

Estou: nostálgica

Escrito por zita às 16:14

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Terça-feira, 25 de Setembro de 2007

Romântica sim, lamechas não!

Há perguntas para as quais uma resposta de “sim” ou “não” não é suficiente.

As pessoas têm uma coisa que me deixa louca... limitam os significados das palavras e dão-lhes sempre a conotação mais negativa. Não sei se faz parte desta forma de pensar (que dizem que é de tuga) mas a tendência é a de reduzir ao máximo os siginificados e exaltar o pior de todos os sinónimos da palavra.

Pior ainda é quando atribuiem a uma palavra, por iniciativa própria, outros significados.

Sempre que me perguntam se sou romântica, primeiro respiro fundo, depois coloco um sorriso irónico e em jeito de piada respondo:  

- Romântica sim, lamechas não!

E para que não fiquem mais dúvidas: Romântico: relativo a romance;poético;idílico;relativo a romantismo / Lamecha: bajoujo (baboso; palerma);apaixonado;

namorador ridículo.

Há um limite muito pequeno entre a sanidade e a loucura, entre o amor e o ódio... entre o romantismo e a lamechice.

Já tive quem me oferecesse flores, quem me dedicasse uma música num concerto, quem me me escrevesse uma carta, quem me fizesse um desenho, quem me dissesse palavras bonitas e sinceras sem que esses gestos ou palavras caiessem na vulgaridade e no ridículo.

Há que não cair na vulgaridade e no ridículo.


Escrito por zita às 16:16

link do post | comentar | favorito
|

Isto dá que pensar!!!

E hoje recebo este e-mail de uma colega de trabalho:

 

 "A colega vai-me desculpar o atrevimento… mas se eu fosse homem a sua espinha bífida não me escapava…
Sabe… é que a menina fica mesmo jeitosa com esse vestido… fica com uma protuberância muito engraçada… de maneiras que é isto… olhe!!!"

 

Isto dá que pensar... Isto de estar sozinha e solteira... dá que pensar!!!

Estou: cobiçada

Escrito por zita às 13:26

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

Mulheres VS Homens

Sem entrar em grandes pormenores, imaginem:

 

Uma festa de aniversário em que os homens estão na sala (até aí nada de estranho) a falarem das limpezas da casa (suas mais recentes aquisições) e as mulheres na cozinha, a fumar cigarros e a falar de sexo anal (?).

Juro que estava sóbria e que ouvi bem!!!

Até poderia falar de alguns pontos mencionados mas... ainda não arranjei uma bolinha para colocar no canto superior direito deste blog:(

 


Escrito por zita às 16:42

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 17 de Setembro de 2007

Ingrediente Indispensável

A vantagem da idade é que, mais do que sabermos o que queremos, sabemos o que não queremos. E se é sabido que, se não colocarmos fermento num bolo ele poderá não crescer e se colocarmos é quase certo que crescerá; uma relação poderá resultar com falta de alguns ingredientes mas, para mim, se não lhe juntarmos humor, é mais que certo que não vai resultar.

Um homem que não saiba rir, fazer-me rir, rir comigo ou rir das minhas piadas... quase de certeza que não terá lugar dentro de uma relação com "je".

Se tentei? Ó se já tentei... É o mesmo que falar para um chinês... e se não há comunicação não há relação.

Rir é o melhor remédio, rir faz bem, rir é ingrediente indespensável para o bolo da vida!


Escrito por zita às 15:14

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 14 de Setembro de 2007

A paixão...

... nunca chega não é verdade?

Há dias em que só queria um colo, aquele colo em que nos sentimos seguros, cómodos, confortáveis, em que sabemos que nada nem ninguém nos fará mal porque, do nosso lado, está alguém que nos ama.

Eu abdiquei do meu porto seguro para ir para alto-mar...

Há dias assim... em que tudo é só mar e o azul é tudo o que tenho. Há dias em que não há ninguém que, mesmo nesta imensidão, se sente a meu lado e, sem nada dizer, consiga falar-me.

Não há caminhos certos nem errados (pelo menos quero acreditar nisso), há sim, caminhos mais longos e caminhos mais curtos...

Ás vezes tenho a sensação que escolho sempre o que tem mais pedras!

Estou: sozinha

Escrito por zita às 13:25

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2007

Que frustração

Queria tanto gostar, queria tanto fazer parte daquele clã de (quase) viciados (porque como se diz, ou se ama ou se odeia)... eu juro que fiz de tudo para gostar mas não consegui, confesso que já tentei duas vezes e que ontem, foi a última vez (ou não) e, ainda parece que tenho o sabor na boca, e só não cuspi para o guardanapo por educação e, por uma questão de etiqueta, engoli, engoli com muito esforço e quase me vieram as lágrimas aos olhos.. carissímos... estou a falar de sushi:)

E dou-me por derrotada... aqueles sabores e texturas não convenceram as minhas papilas gustativas nem o meu olfacto... Sou uma portuguesinha que entre um restaurante Japonês ou uma tasca  com cheiro a cerveja e tremoços, que serve aquelas bifanas gordurosas no pão, caracois e afins, vai sempre optar pela tasca...

Tu, homem da minha vida, como vês não te saio nada cara... fico contente com um pires de pipis:)

Estou: frustrada

Escrito por zita às 12:34

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

Fim-de-semana#1

Sexta-feira

Jantar fora

Vinho verde Muralhas (1/2 de uma garrafa)

 

Sábado

Casamento em Tavira

Martini, vinho tinto e Balleys (perdi o número de copos)

 

Domingo

Petiscada de vizinhos :)

Cerveja e sangria

  

E se hoje, tivesse vindo de carro para o trabalho, a polícia me mandasse parar e eu tivesse que soprar no balão... quaaaaaaaaaaaaaaaaase de certeza que acusaria qualquer coisinha :(

Estou: tonta

Escrito por zita às 15:37

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007

Hoje estou que não posso...

... com uma neura (e eu com a neura sou um bocadiiiiiiiiiiiiiiiinho pior do que no meu estado de boa disposição). Acordei assim... vai-se lá entender porquê ou vai-se lá querer saber porquê. E só me pergunto: - Se eu não me aguento a mim mesma neste estado o que sentirão as pessoas que inevitavelmente têm de estar comigo? Já vejo nas caras delas o pânico, já quase que lhe consigo ler os pensamentos de aflição porque, só ainda passaram duas horas na minha presença e ainda vão ter de levar comigo (salvo seja) mais seis horas.

Estou: com a neura

Escrito por zita às 10:51

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Fevereiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


tags

todas as tags