posts recentes

...

21 anos de nós 2... 4 ano...

Os homens deviam nascer m...

Vai correr tudo bem

Eu sei que não tem sido f...

O meu primeiro dia de esc...

Aqui vamos nós

A magia da arte

A caminho

Mães quase perfeitas

Laçada#1

Dizem que os opostos se a...

Simplicidade

Há muito tempo...

Limites

Há dias assim...

A Vida de Adèle

Objectivos#6

Aprender a amar(-me)

Objectivo#5

arquivos

Fevereiro 2015

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2013

A noiva

Quando era miúda queria muito crescer e casar. Imaginei muitas vezes o meu vestido de noiva. Era sempre diferente daquilo que estava habituada a ver. Cheguei mesmo a desenha-lo. Depois, passei por uma fase de revolta. Os homens, para mim, eram todos iguais, machistas, sexistas, egoistas, interesseiros e decidi que nunca casaria porque isso iria roubar-me a independencia e blábláblá. Coisas parvas eu sei mas, esta minha teoria salvou-me muitas vezes de ter atitudes impulsivas perante o sexo masculino e de gostar muito de avaliar qualquer pessoa antes de me envolver com ela. Ainda bem... muitos deles, de caras bonitinhas e de conversa melosa não valiam a ponta de um chavelho como homens. Hoje, certa de que tenho ao meu lado o homem com quem quero envelhecer e o pai maravilhos para o meu filho e para o que poderá vir a seguir (nunca escondi que não quero um filho único), dei por mim a imaginar, novamente, o meu vestido de noiva mesmo que não tenha em mente casar no papel. Mas, confesso que, se houvesse um pedido de casamento, eu ia adorar sem hesitar e até já sei que vestido levava. Por acaso, num dia destes, passei os olhos pelo Catálogo da Mango e, quando vi este vestido pensei: "- Bolas... se casasse agora, levava este vestido!" Pois bem, seria este, sem tirar nem por nada, até a cor me agrada... só falta o pedido de casamento ;)

 

 

(imagem retirada do Catálogo da Mango)


Escrito por zita às 13:43

link do post | comentar | favorito
|

Fevereiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


tags

todas as tags